Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de Investimentos - PPI

DIREITOS MINERÁRIOS DA CPRM

DIREITOS MINERÁRIOS DA CPRM 

Home > Projetos > DIREITOS MINERÁRIOS DA CPRM
  • SETOR

    Mineração

  • TIPO DE ATIVO

    Ativo Existente

  • MODELO

    Concessão de Direito exploratório

  • CAPACIDADE

    Fosfato de Miriri: Sete processos minerários (7.572,84 ha). Cobre, Chumbo e Zinco de Palmeirópolis: Seis processos minerários (5.500 ha). Carvão de Candiota: Cinco áreas principais: 56 alvarás de pesquisa (96.875,76 ha). Cobre de Bom Jardim de Goiás: Uma área (1.000 ha).

  • ÓRGÃOS ENVOLVIDOS

    MME, DNPM, CPRM

  • DATA DA LICITAÇÃO

    2º semestre de 2017

  • FASE ATUAL

    As condições de outorga de cada um dos projetos, com os respectivos valores e o modelo de negócios, estão sendo desenvolvidas pelo Ministério de Minas e Energia e a CPRM

Informações do projeto

A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais – CPRM é uma empresa pública federal vinculada ao Ministério de Minas e Energia, e que tem como atribuição o Serviço Geológico do Brasil. A empresa dispõe hoje de 376 áreas de pesquisa mineral ativas no Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM em projetos desenvolvimentos entre as décadas de 1970 e 1990.

Para integrar o PPI, foram selecionados 4 projetos:

  • Fosfato de Miriri (nos Estados da Paraíba e Pernambuco)
  • Cobre, Chumbo e Zinco de Palmeirópolis (no Estado de Tocantins)
  • Carvão de Candiota (no Estado do rio Grande do Sul)
  • Cobre de Bom Jardim de Goiás (no Estado de Goiás)

Os minérios constituem insumos para a agricultura (fosfato) e para a geração de energia (carvão). São, ainda, de interesse para empresas de pesquisa mineral (zinco e cobre). Os depósitos minerais qualificados no PPI encontram-se em estágio intermediário a avançado de pesquisa. As áreas contam com projetos de pesquisa aprovados pelo DNPM.

  • A área de fosfato de Miriri tem uma importância significativa no mercado nacional. Há, hoje, no Brasil, uma forte demanda por aquele mineral. O país importa cerca de 43% do fosfato que consome, que é usado basicamente no setor agrícola
  • A área a ser concedida apresenta excelente infraestrutura para a implantação de projetos mineiros, sendo atendida por estradas estaduais e federais, e pelos portos de Cabedelo e Suape
  • O projeto engloba sete processos minerários (7.572,84 ha), com relatórios finais de pesquisa aprovados pelo DNPM
  • Os depósitos de cobre, chumbo e zinco de Palmeirópolis são de tamanho pequeno, mas com potencial elevado para aumento de reservas e boa localização de infraestrutura (sendo atendido por estradas e ferrovias)

O projeto envolve seis processos minerários (5.500 ha) com relatórios de pesquisa também aprovados pelo DNPM. Vale lembrar que o zinco é um metal de interesse comercial no curto e médio prazo e de grande atrativo para empresas de pesquisa mineral

O depósito de carvão de Candiota conta com excelente infraestrutura logística. São cinco áreas principais, com 56 alvarás de pesquisa (96.875,76 ha), cujos relatórios finais de pesquisa já estão aprovados pelo DNPM. O carvão tem seu principal uso destinado às termelétricas da região (como a Usina Termelétrica Presidente Médice). Outras termelétricas estão sendo implantadas nas proximidades, algumas em fase de licenciamento.

 

O quadro abaixo mostra o volume de produção de cada uma das áreas inseridas no projeto:

BLOCOS Volume (m3) Tonelagem Cobertura <50m
Arroio Pitangueira 318.392.393 568.396.327 *26%
Arroio Pitangueira Norte 62.372.391 113.016.199 **98%
Arroio dos Vimes 401.257.347 710.465.910 *21%
Estância da Glória 401.612.813 708.357.691 *15%
Seival II 181.641.655 322.986.895 ***38%
TOTAL 1.365.276.599 2.423.223.022  

 

  • O depósito de cobre de Bom Jardim é de interesse para empresas de pesquisa mineral. O projeto envolve uma área de 1.000 ha, com relatório final de pesquisa aprovado pelo DNPM. Há boa infraestrutura nas proximidades.

  • As condições de outorga de cada um dos projetos, com os respectivos valores e o modelo de negócios, estão sendo desenvolvidas pelo Ministério de Minas e Energia e a CPRM. Espera-se que os editais fiquem prontos no primeiro semestre de 2017, e que a licitação já se dê no segundo semestre daquele ano.

Galeria

Cobre de Bom Jardim

Cobre de Bom Jardim

Fosfato de Miriri (PE-PB) CPRM

Fosfato de Miriri (PE-PB) CPRM

Cobre, Chumbo e Zinco de Palmeirópolis TO

Cobre, Chumbo e Zinco de Palmeirópolis TO

Carvão de Candiota

Carvão de Candiota

Ver outros projetos