Seu navegador não suporta javascript!

Programa de Parcerias de Investimentos - PPI

Celg D arrematada por R$ 2,187 bilhões

Home > Notícias > Celg D arrematada por R$ 2,187 bilhões

30 de novembro de 2016

Celg D arrematada por R$ 2,187 bilhões

É a primeira privatização feita no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos

Celg D

Em leilão na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), em São Paulo, a Companhia Energética de Goiás - Distribuição (Celg D) foi vendida à iniciativa privada na manhã desta quarta-feira (30) pelo valor de R$ 2,187 bilhões, ágio de 28,03% em relação ao preço mínimo.

A compradora é a italiana Enel, que já atua no mercado brasileiro de distribuição de energia -- no Ceará e em parte do Estado do Rio de Janeiro. A partir de agora, ela assume compromisso de atingir novas metas de desempenho operacional nos 5 anos subsequentes, refletindo em melhora substancial do serviço prestado à população.

Foi a primeira privatização feita no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos, lançado ainda no primeiro dia de interinidade do presidente Michel Temer.

O processo de venda da Celg D, que, federalizada em março de 2015, era controlada pela Eletrobrás, foi iniciado ainda na gestão anterior. O processo de venda chegou à fase do leilão, em agosto passado, mas não houve interessados. Os integrantes do mercado de energia afirmaram que o preço estabelecido estava alto demais.

Incluída no Projeto Crescer, a venda da Celg D voltou então à área técnica, que remodelou a venda. O valor mínimo foi ajustado para R$ 1,708 bilhão e o leilão, desta vez, acabou com o lance da Enel e o ágio de 28,03%. 

A Celg Distribuição , empresa de energia elétrica que opera no estado de Goiás, era controlada pela Eletrobrás, que detém 50,93% do capital, atende 237 municípios, equivalentes a 98,7% do território goiano, e tem 2,61 milhões de unidades consumidoras em uma área de concessão de 336.871 km².
 

Leia outras notícias

  • ANP publica pré-edital da 14ª Rodada de Licitações

    Continue lendo
  • Leilão da Norte-Sul, no início de 2018, deve arrecadar R$ 1,5 bilhão

    Continue lendo